Tire suas dúvidas

Este espaço está reservado para resposta de perguntas solicitadas pelos visitantes.

 As perguntas devem ser referentes à Química. As perguntas enviadas serão respondidas o mais breve possível.

Gabriele
Mensagem:
oi td bem? gostei muito do site! o melhor que ja entrei sobre quimica! queria sabe o raio e o volume atomico de todos elementos da tabela periodica,e urgente!

 Olá Gabriele, tudo bem?

Estamos felizes por sua visita e esperamos que sempre esteja atenta as novidades e atualizações do nosso site, então continue visitando sem moderações.

Bem, não é possível obter os valores dos raios e volumes atômicos de todos os elementos, mas se você tiver acesso ao livro da Martha Reis volume 1 (de 2007, capa verde e fino) na página 213 você encontra os valores dos raios atômicos e na página 223 você irá encontrar os valores do volume atômico dos elementos. 

No site tem alguns links e programas que são muito bons. Por exemplo, na área "links legais" tem um site de Tabela Periódica interativa que traz as mais diversas propriedades dos elementos. Na área "software" tem o programa ChemsKetch que também traz essas informações.

Outra solução é você visitar o site: http://www.explicacoes.com/tp.php porque ele traz essas informações.

Esperamos que nossa ajuda tenha sido muito util. Aguardamos mais perguntas e sugestões para que o site seja sempre atrativo.

 

Obrigado.

 

Nome: Felipe Schneider de Lima
Mensagem:
Qual é a função química do Cloreto de Bário?
E a que se refere exatamente toxicidade dessa substância?
Obrigado!

 

Obrigado pelo contato e desculpa a demora.

Bem, a função química a qual pertence o cloreto de bário (BaCl2) é sal (inorgânico) e apresenta as seguintes propriedades físicas e químicas:

  • Estado físico: Sólido
  • Aparência: Sólido branco
  • Odor: inodoro
  • Pressão de vapor (mBar): informação não disponível
  • Ponto de ebulição: 1560°C (anidro)
  • Ponto de congelamento/fusão: 963°C (anidro)
  • Solubilidade em água: 31 g/100 g água (anidro).
  • Gravidade específica/Densidade: 3,86 (anidro)
  • pH: Não disponível
  • Densidade de Vapor (ar=1): Não disponível

·         Pressão de vapor (mm Hg): Não disponível

O cloreto de bário pode ser obtido a partir da reação do ácido clorídrico (HCl(aq)) com o hidróxido de bário (Ba(OH)2) ou carbonato de bário. Em escala industrial, é preparado em duas fases a partir da barita, mineral rico em sulfato de bário. A primeira fase é realizada em altas temperaturas:

BaSO4 + 4C  BaS + 4CO

A segunda fase requer adição de reagentes. O cloreto de bário resultante pode então ser retirado da mistura pela água:

BaS + CaCl2  BaCl2 + CaS

 

 

Perigo! Pode ser fatal se ingerido. Prejudicial se inalado. Pode causar irritação na pele, olhos e trato respiratório. Afeta o coração, sistema respiratório sistema nervoso central.

 

Efeitos potenciais à saúde:
Inalação: Irrita o trato respiratório. Pode produzir inflamação na garganta, tosse e dificuldade respiratória. Outros sintomas podem ser semelhantes aos da ingestão.
Ingestão: Tóxico! Pode causar gastroenteríte severa, incluindo dor abdominal, vômito e diarréia. Pode causar tremores, desmaio, paralisia de braços e pernas, e diminuição ou irregularidade dos batimentos cardíacos. Casos graves podem produzir colapso e morte por falha respiratória. Dose letal estimada em humanos: 1 grama.
Contato com a pele: Pode causar irritação com vermelhidão e dor.
Contato com os olhos: Pode causar irritação, vermelhidão, dor ou distorção da visão.
Exposição crônica: Informação não disponível.
Agravamento de condições pré-existentes: Pessoas com desordens pré-existentes de pele ou função respiratória irregular podem ser mais susceptíveis aos efeitos da substância.

 

Medidas primeiros socorros

Inalação: Remover para o ar fresco. Se não estiver respirando, aplicar respiração artificial. Se estiver respirando com dificuldade dar oxigênio. Chamar o médico.

Ingestão: Dar atenção médica imediatamente. Induzir vômito imediatamente como aconselhado por pessoal médico. Nunca dar qualquer coisa pela boca a uma pessoa inconsciente. Após vômito, uma colher de sopa de sulfato de magnésio ou sódio (sais de Epson) dissolvido em 200 ml de água para beber pode ser indicado para precipitar o bário na forma de um sal não tóxico insolúvel sulfato de bário.

Contato com a pele: Remover qualquer roupa contaminada. Lavar a pele com sabão e água por peca se a irritação persistir.

Nota ao médico: Monitora pacientes com ingestão significativa quanto pressão do sangue, cardiovascular e respiratória. Ficar atento a arritmias cardíaca, respiratória, falhas devido à flacidez ou paralisia dos músculos respiratórios, edemas pulmonares, paralisia das cordas vocais, hipertensão grave e efeitos retardados na falha dos rins. Envenenamento agudo por cloreto de bário resulta em hipocalemia. A administração de fluidos contendo concentrações diluídas de sais de potássio pode ser indicada.

Bem, esperamos que a ajuda tenha sido eficiente.

Nome: Richardson
Mensagem:
1.Foram adicionados 02 gotas de NaOH 2,0 N , Quantos miliequivalentes de OH- foram adicionados?

 

Conceitos:
·         Normalidade ou concentração normal (N) é o quociente do número equivalentes-grama (e1) do soluto pelo volume (V) da solução, em litros.
N=e1/V
·         Número de equivalentes-grama (e1) de uma substância é o quociente da sua massa (m) pelo seu equivalente-grama (E).
e1=m/E
·         Equivalente-grama (E) das bases é o quociente da massa molar (M) das bases pela valência total das hidroxilas (n).
E=M/n
Miliequivalente – é a milésima parte do equivalente
Portanto, o equivalente dos elementos monovalentes é igual ao peso atômico, o bivalente é igual ao peso atômico dividido por 2 e assim por diante.
Ex: K+-39/1
39 g de K = 1Eq
39 mg de K = 1 mEq
 
Mg2+  -  24/2
12 g de Mg = 1 Eq
12 mg de Mg = 1 mEq
 
RESOLUÇÃO DA QUESTÃO
1º) Substituindo a equação 2 na equação 1, teremos:
N=m1/E.V
Utilizando a equação três encontraremos que o E = 40 g para o NaOH.
Falta ainda encontrar o volume da solução;
1 gota ------ 0,05 mL
2 gotas------x
x = 1 x 10-4 L
 
2º) Substituindo agora esses valores na equação 4, encontraremos a massa de NaOH presente nessas condições é de 0,008 g (8 mg).
 
3º) Sabe-se ainda que o E para o NaOH é igual a 40g (ou em mili-equivalente, 40 mg) e que em 40 mg de NaOH contém 1mEq (1 mili-equivalente) de OH-. Sendo assim, 
40 mg de NaOH ---------17 mg de OH-
8 mg de NaOH ------- x 
X = 0,2 mg de OH-  AGUARDAMOS A SUA RESPOSTA PARA CONFIRMAR A RESPOSTA.

 

Nome: Cristiano
Assunto: Experimentos
Mensagem: Olá. Gostaria de obter algumas idéias novas quanto a experimentos realizados com materiais alternativos/fácil aquisição e com bons efeitos visuais. Se puderem encaminhar ficarei agradecido.
Abraço!

Agradecemos a sua visita! Bem na "raiz" links legais tem sites que demonstram experimentos com materiais de baixo custo e ainda demostram o experimento num vídeo. O nome do site é ponto da ciência. Logo estaremos disponibilizando experimentos para download. Abraço e continue visitanto o site.

NOME: Andréia Axelrud
MENSAGEM: Em um copo graduado existe 250mL de solução de NaOH o,oo38 mol/L. Foi adicionado 650 mL de agua desionizada. Informe a concentração de H+, pH e pOH da nova solução.

RESOLUÇÃO by Taciana Oliveira

 Obrigado pelo contato e segue abaixo a resolução da questão. Continue sempre acessando e qualquer sugestão, crítica ou dúvidas estaremos sempre a espera.

                1º Passo: Encontrar a concentração final de NaOH:

                    Ci . Vi = Cf . Vf

                    0,0038 . 250 = Cf . 900

                    onde, 900 mL (volume final) é o volume que tinha (250 mL) + o volume adicionado (650 mL)

                    Cf = (0,0038 . 250) / 900

                    Cf = 0,00105 mol/L

                2º Passo: Encontrar a concentração de OH-

                    Como é uma base forte, vai se ionizar completamente:

                    NaOH(aq)               Na+(aq)      +      OH-(aq)

                    0,00105 mol/L     0,00105 mol/L     0,00105 mol/L

                3º Passso: Encontrar o pOH

                    pOH = -log [OH-]

                    pOH = -log 0,00105

                    pOH = 2,98

                4º Passo: Encontrar o pH

                    Como sabe-se pH + pOH = 14, portanto

                    pH = 14 – pOH

                    pH = 14 – 2,98

                    pH = 11,02

                5º Passo: Encontrar a concentração de H+

                    Como sabe-se a concentração é encontrada da seguinte forma,sabendo-se o pH:

                    pH = -log[H+], logo [H+] = 10-pH , portanto,

                    [H+] = 10-11,02

                   [H+] = 9,55 x 10-12 mol/L

 

Nome: Grazzia Lamboglia
Assunto: Como fazer!
Mensagem: Considere a eletrolise das seguintes substâncias, feita com eletrodo inertes, em solução aquosa:
I.Brometo de cálcio,CaBr2(aq)
II.Nitrato de prata,AgNO3(aq)
III.Iodeto de níquel II,Nil2(aq)
Para casa caso determine:
(a) os cátions presentes na solução e qual deles descarrega-se primeiro;
(b) os ânions presentes na solução e qual deles descarrega-se primeiro;
(c) dissociação (ou ionização) dos compostos (balanceada);
(d) a ionização da água (balanceada)
(e) a reação anódica (balanceada)
(f) a reação catódica (balanceada)
(g)a reação global do processo, corretamente balanceada;
(h) o nome da substância que permanece na cuba eletrolítica.

OBRIGADO PELO CONTATO. Resolução feita por Laudimir Veloso.

Para o Brometo de Cálcio, teremos:

a)    Ca2+(aq) e H3O+ (aq), sendo que este último se descarrega primeiro, pois o Ca2+ é mais reativo;

b)    Br- e OH-. O Br- se descarrega primeiro pq o OH- é mais reativo;

c)    CaBr2(aq) à Ca2+ + 2Br-

d)    4H2O(l) à 2 H3O+ + 2OH-

e)    2Br- à 2 elétrons + Br-

f)     2 H3O+ + 2 elétrons à H2 + 2H2O(l)

g)    CaBr2 + 2 H2O à H2(g) + Br2 + Ca(OH)2

h)    Hidóxido de cálcio (Ca2+ e OH- são os mais reativos, a reação entre eles gera o Hidróxido de Cálcio, que permanecerá assim na cuba eletrolítica)

Para o Nitrato de Prata, teremos:

a)    Ag+ e H3O+. O Ag+ descarregará primeiro. (raciocínio semelhante ao proposto para o Brometo de Cálcio);

b)    NO3- e OH-. O OH- se descarrega primeiro.

c)    4 AgNO3 à 4 Ag+ + 4 NO3-

d)    8 H2O(l) à 4 H3O+(aq) + 4 OH-(aq)

e)    4OH- à 2H2O + 1 O2(g) + 4 elétrons

f)     4 Ag+(aq) + 4 elétrons à 4 Ag(s)

g)    4 AgNO3 + 6 H2O(l) à 4 Ag(s) + O2(g) + 4 H3O+ + 4 NO3-(aq)

h)    Ácido Nítrico (raciocínio igual ao proposto para o Brometo de Cálcio)

Para o Iodeto de Níquel, teremos:

a)    Ni2+ e H3O+. O Ni2+ se descarrega primeiro.

b)    I- e OH-. O I- se descarrega primeiro.

c)    NiI2(aq) à Ni2+ 2 I-

d)    4 H2O (l) à 2 H3O+ + 2 OH-

e)    2 I- à 2 elétrons + I2(s)

f)     Ni2+ + 2 elétrons à Ni(s)

g)    Água (lógico, pois o H3O+ e o OH- são os mais reativos, assim, restará na cuba eletrolítica o produto de reação entre eles, que no caso em questão é a água)

Nome: Sérgio Luiz
Assunto: Experiências de química
Mensagem: Vocês podem meajudar, preciso de experiências de quimica bem interessantes com explicação e com materiais mais simples.

Bom dia!

 

Olá Sérgio Luiz! Agradecemos o contato e gstaríamos de dizer que no site tem uma "raiz" denominada "Links legais". Ao clicar nesse link você encontrará links de sites que ensinam como fazer experimentos com materiais de baixo custo e de fácil acesso, além de trazer vídeos do funcionamento das experiências. Um desses sites é: http://www.pontociencia.org.br/

Espero que nossa ajudar tenha sido útil. Se quiseres mais experimentos entre em contato que enviaremos para o seu email.

 

Abraço e fique sempre atento as novidades do site!

 

Atenciosamente, a EQUIPE.

Nome: Artur
Mensagem: o que eh dessorção? A diferencia entre adssorção e absorção?

Agradecemos a sua visita e também a pergunta. Fique atento as atualizações do site.

Adsorção

Diferentes interações entre moléculas

Júlio C. de Carvalho*
Especial para a Página 3 Pedagogia & Comunicação
Sabe quando os aromas dos alimentos acabam se misturando na geladeira? Você vai tomar um copo d'água e descobre que, de inodora, ela acabou é ficando com o cheiro das sobras do almoço. Uma dica comum para evitar essa mistura de aromas é colocar um pouco de pó de café em um potinho e deixá-lo na geladeira. Melhor ainda se, no lugar de pó de café, você utilizar carvão ativado. Mas por que esses artifícios funcionariam? Os odores possuem algum tipo de preferência pelos pós?

Interações sólido-líquido e sólido-gás

Você sabe que as moléculas apresentam interações razoáveis entre si, principalmente nos estados sólido e líquido, onde a densidade é alta e há grande proximidade entre as moléculas. Moléculas de gases também interagem, porém bem menos, devido a uma maior distância entre essas moléculas e à sua relativa agitação.

Mas, o que é que ocorre nas interfaces entre duas substâncias diferentes - por exemplo, um sólido e um gás? Ora, pode também haver interação entre moléculas:
Reprodução

Quando a interação é entre um sólido e um fluido - um líquido ou gás -, o fenômeno é chamado de adsorção. Continuam valendo as interações entre moléculas estudadas em ligações químicas: ponte de hidrogênio, dipolo-dipolo, dipolo-dipolo induzido, etc. Portanto, a interação entre as moléculas do fluido e do sólido dependerá das propriedades das substâncias em contato; algumas são fortemente adsorvidas, outras não.

Note que o sólido, o adsorvente, pode ser uma substância metálica (por exemplo, platina ou paládio, usados como catalisadores), uma substância covalente - como o carvão - ou mesmo iônico. Já as espécies químicas do fluido podem ser moléculas ou íons. Além disso, a adsorção em geral é facilitada por temperaturas baixas. E o fenômeno inverso - dessorção - é facilitado pelo aquecimento do sistema, que libera as moléculas para o líquido ou gás.

Adsorção depende da superfície

Talvez você estranhe o nome "adsorção" ao invés de "absorção". A diferença é proposital, porque a absorção é um fenômeno em que uma substância permeia o volume de outra (por exemplo, uma esponja absorve água), enquanto a adsorção é um fenômeno de superfície. A adsorção é importante em inúmeras situações no dia-a-dia (por exemplo, em filtros de carvão ativado) e na indústria (por exemplo, em catalisadores).

Pensando em áreas superficiais, pode-se ter a impressão de que, para ter uma adsorção eficiente, é preciso de grandes quantidades de material, pois o fenômeno depende da superfície, e em uma pequena quantidade de material - por exemplo, uma colher de sopa de café - a superfície é pequena. É aí que os nossos sentidos nos enganam...

Área de pós

Uma característica interessante dos materiais particulados (ver também o texto sobre explosões acidentais) é que a sua área superficial pode ser muito alta. No caso do café, por exemplo: uma colher de sopa de café tem cerca de 7 g de pó. Se esse café tiver partículas de 0,2 mm, a área superficial será de pelo menos 0,25m2, o mesmo que um quadrado de 50 x 50 cm!

Mas o mais espantoso são superfícies com partículas pequenas e de alta porosidade - por exemplo, um carvão ativado. Quando a superfície de um material é tratada quimicamente, é possível aumentar a área superficial, como ilustra a figura abaixo:
Reprodução

Esse tratamento pode ser uma oxidação parcial, onde parte do carbono é convertido a óxidos, e a superfície restante, desgastada de forma irregular, tem área maior que a original. Com materiais porosos adequadamente escolhidos, é possível ter áreas da ordem de 1000 m2/g!

Com tal área superficial, não é de espantar que o carvão ativado seja tão eficiente na retirada de substâncias com aroma ou sabor ruins. Umas três colheres de sopa de carvão ativado têm a área de um campo de futebol, o que explica porque o carvão ativado é um tratamento auxiliar em intoxicações e envenenamentos: se administrado antes da absorção de toda a substância tóxica pelo organismo, pode prevenir a piora do quadro ao adsorver a substância, ainda no estômago.

Portanto, o artifício do pó de café - que apresenta partículas pequenas e de razoável porosidade - funciona mesmo, embora talvez a sua água acabe com um leve cheirinho de... café.

 
*Júlio C. de Carvalho é engenheiro químico e professor do curso de Engenharia de Bioprocessos e Biotecnologia da UFPR.
 

 

Nome: Jhefesson araujo
Mensagem: 6,0 L de SO2, medidos a 623 mmHg e 27 ºC, reagem completamente com KOH, segundo aequação: 2KOH + SO2 Calcule: a) a massa de KOH consumida; b) a massa de K2S03 formada. 14K2S03 + H2O (MA: K = 39; S = 32; O = 16; H = 1)

Obrigado pelo contato e desculpa se demoramos a responder, mas é que estavamos resolvendo um problema técnico, mas já estamos em ordem. Se tiver mais dúvidas pode nos enviar que será muito gratficante para nós.

 

RESOLUÇÃO: A questão envolve os conteúdos de gases ideais e estequiometria.

(a) A equação química que representa essa reação é: 2KOH + SO2 ---->  K2SO3 + H2O. A partir da equação podemos notar que a proporção estequiométrica entre os reagentes é: 2 mols de KOH para 1 mol de SO2. A questão pede a massa de KOH e relaciona com o dióxido de enxofre (SO2), portanto, é necessário encontrar a quantidade de SO2 que foi consumida a apaartir do dados fornecidos.

Considerando o SO2 como um gás ideal, teremos:

V = 6,0 L; T = 27 ºC = 300 K; P = 623 mmHg = 623/760 atm = 0,82 atm (Lembrando que 1 atm = 760 mmHg)

P x V = n x R x T   ----> n = P x V/R x T   ---> n = 0,82 x 6/0,082 x 300  ---> n = 0,2 mol

Logo, a quantidade de dióxido de enxofre consumida foi de aproximadamente 0,2 mol. Então, teremos:

2KOH   +     SO2 ---->  K2SO3 + H2O

2 mol ---- 1 mol

x -------- 0,2 mol   ---> x = 0,4 mol de KOH (M = 39 + 16 + 1 = 56)

A massa de KOH será: m = n x M ---> m = 0,4 x 56 ---> m = 11,2 g de KOH consumida durante a reação.

 

(b) Gostaria de saber se a equação química é 14 K2SO3 + H2O. Se for realmente assim, teremos:

28KOH +14SO2 ---->  14K2SO3 + 14H2O

28 mol------------- 14 mol, sabemo que m = n x M, logo:

(28 x 56)g ----------(14 x 158)g

11,2 g ------------- y       --------> y = 15,8 g de K2SO3 formado na reação.

1 | 2 >>